Com certeza você já ouviu falar que “vacinar é um ato de amor” e realmente é isso mesmo. Qual o motivo? Simples, ao vacinar uma criança você não está somente a deixando imunizada e sim fazendo com que ela não adoeça e não leve o vírus para outras crianças. Esse simples ato de vacinar seu filho fará com que ele tenha uma vida muito mais segura em relação as doenças como sarampo, varicela, tuberculose, poliomielite, entre outras.

Quando a criança não recebe as vacinas, ela corre o mesmo risco que as crianças de 60 anos atrás, ao contrair doenças infeciosas graves e até potencialmente fatais. Alguns pais atualmente estão preferindo não inocular seus filhos, por serem contra a aplicação do vírus no organismo da criança. Infelizmente, ao pensar assim, abre-se brechas para que uma doença se instale e acabe levando a criança a morte, além do risco de trazer a tona novamente doenças que já foram erradicadas ou quase que completamente excluídas do país.

O risco de se contrair doenças que, teoricamente, estão erradicadas é grande, pois a doença existe, a vacina é uma barreira que se forma no corpo contra esse vírus, fazendo com que as chances de ser infectado seja quase nulas.

Alguns motivos que os pais alegam por não vacinar seus filhos:

  • Medo de que a vacina possa fazer mal
  • Doenças que deixaram de ser comuns
  • Teorias exóticas que não recomendam vacinas

Esses motivos são erros que podem causar desde uma simples erupção cutânea, até levar a pessoa a morte caso contraia a doença. Por este motivo, as campanhas de vacinação são realizadas mundialmente e todos os Ministérios da Saúde buscam vacinar e conscientizar pais para trazerem crianças para a imunização.

Por que vacinar?

Com a maioria da população vacinada, os agentes infecciosos encontram mais dificuldades de se propagar, protegendo também aqueles que não foram vacinados ainda. E é necessário lembrar que a doença pode não existir mais, contudo o seu agente causador sim. É justamente a vacina que impede a manifestação da doença, sem ela, as doenças voltariam a existir.